A definição de um líder pode ser comparada muitas vezes com um maestro de concerto corporativo. Reger uma equipe, sem desalinhar, não é uma tarefa fácil.

Hello guys! A posição de liderança dentro das corporações é uma das mais desejadas e, ao mesmo tempo, temida. Muitos querem chegar a serem líderes de setores, áreas e segmentos, mas, pela responsabilidade exigida, temem alcançar! Para desmistificar e ajudar a prepara-los, trago algumas dicas e ferramentas que auxiliarão no dia a dia e no planejamento a médio e longo prazos.

O líder, assim como um maestro, é responsável, basicamente, por harmonizar o cotidiano, equilibrando as atividades dos colaboradores, suas necessidades, dúvidas às metas da empresa. Por isso, precisa estar sempre disponível, motivado e presente no dia-a-dia e no acompanhamento das atividades.

Desde que bem preparado e seguro, o líder pode aumentar a produtividade individual e da equipe, reter talentos no quadro de funcionários, tornar o ambiente harmonioso e tomar decisões mais assertivas. Para ajuda-lo a se tornar este líder, sugiro adotar algumas posturas e atitudes como:

– Visitar as tendências de mercado;

– Propor mudanças internas;

– Fazer planos com antecedência;

– Ter capacidade de mobilizar a equipe para executar seus planos e obter resultados efetivos;

– Estimular atividades de trabalho em equipe;

– Proporcionar treinamento e desenvolvimento pessoal;

– Promover a integração das equipes;

– Ter senso de prioridade;

– Cumprir os programas de avaliação de desempenho por meio de pesquisas de clima e – benefícios (abaixo, os modelos de aplicação das pesquisas);

– Conversar e dar feedbacks para os colaboradores.

Da mesma forma que atos positivos permitem uma liderança de excelência, negativos podem desconstruir todo um trabalho. Por isso, abaixo uma lista do que NÃO fazer na posição:

– Nunca assuma as obrigações que delegou a alguém;

– Nunca critique em público;

– Nunca perca o equilíbrio emocional;

– Nunca use o poder do cargo para liderar;

– Nunca se envolva emocionalmente com um colaborador;

– Não estipule metas inatingíveis;

– Não ignore a vida pessoal das pessoas;

– Nunca se esqueça de você, de sua família e de seus amigos;

– Nunca abandone seus sonhos.

Para fechar, deixo alguns modelos básicos para as primeiras aplicações das pesquisas que menciono acima. Desta forma, será possível começar este processo com segurança, organização e planejamento:

– Pesquisa de clima: para entender exatamente o que se passa na empresa é necessário conversar com os colaboradores e, no caso de médias e grandes, pelo grande numero de pessoas, a pesquisa de clima pode ser aplicada mensal, bimestral ou trimestralmente. Com ela, é possível medir os índices de satisfação, estresse, sensações e vontades. No meu canal do Telegram, coloquei um modelo para você por usar. Link: https://t.me/joinchat/AAAAAEuRyMPjVT4gL1KylQ

– Satisfação de benefícios: da mesma forma que é necessário cuidar do ambiente, saber se os funcionários estão satisfeitos com o que recebem da empresa é essencial. Oferecer benefícios para os colaboradores é uma política que mantém a equipe satisfeita e colabora para a qualidade de vida dos funcionários. Um modelo para ajudar na montagem: https://plataforma.opinionbox.com/cadastros/pesquisa/responder/id/5691/HASHTAG/teste_1578600367934/mode/exemplos

 

Fontes: agendor.com.br e plataforma.opinionbox.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu