Esse pensamento #estoico me fez refletir muito sobre a vida, sobre a nossa educação e nossa sociedade.

Se tivéssemos crescido com a educação do TODO, tudo seria diferente.
Como assim Diego?
Se desde pequeno, aprendêssemos que cada ação tem um impacto no outro e no mundo, talvez agíssemos com mais cautela e mais empatia hoje.
Se você ensinar que ao jogar um papel de bala no chão, ele pode ir para um bueiro, onde com a chuva, pudesse contribuir para uma enchente, e que essa enchente, poderia inundar a casa dos seus amiguinhos, tirando tudo o que puderam conquistar ao longo da vida, inclusive suas vidas, talvez tudo fosse diferente.
– Imagine se a nossa educação pudesse nos ensinar a olhar o todo?
– Imagine se aprendêssemos a contribuir ao invés de aprender a ser melhor do que os outros?
– Imagine se não nos ensinassem limites separatistas, como o patriotismo, por exemplo?
– Imagine se ensinassem que a competição saudável deve ser sempre contra nós mesmos?
– Imagine se as escolas ensinassem mais sobre a paz e o amor?
Quanto mais ensinamos as pessoas a serem egoístas e únicas, mais guerras enfrentaremos. O pensamento unitário só separa, ao invés de trazer mais união e fraternidade. Só assim, com a visão do TODO, conseguiríamos colocar o #amor em prática, que é o resumo do livro da lei que chamamos de #biblia.
Se para nos mantermos felizes, precisamos que as pessoas a nossa volta também estejam assim, como deseja ser melhor, maior ou mais poderoso, para alcançar a sua felicidade, se as outras pessoas não estarão lá também?
Essa frase, “O que não beneficia a colmeia, tampouco beneficia a abelha” deveria ser o primeiro ensinamento de nossas vidas.
Qual sua opinião sobre isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu